Silicone x amamentação

Coloquei prótese antes de engravidar e, sim, tudo muda!

Oi, gente!

O post de hoje é sobre um assunto que vira e mexe gera um monte de dúvida por aí: silicone e amamentação. Muitas mulheres têm dúvidas a respeito da prótese, se atrapalha em alguma coisa para amamentar o bebê, se incomoda durante a gestação ou alguma coisa parecida.

Bom, hoje, depois de duas gestações e quatro cirurgias nos seios, acho que tenho embasamento para falar sobre isso, hahaha! Então, hoje o papo é de amiga mesmo. Vem comigo!

Eu nunca tive muito peito… Na realidade, eu não tinha absolutamente nada. Minha genética é mais tendenciosa para o bumbum do que para os seios, hahahaha. E foi em abril de 2010 que eu coloquei silicone pela primeira vez.

Depois de dois meses, lá para o meio de junho de 2010, eu ainda achava que meus seios estavam pequenos – isso porque ainda estava bem inchado! Então, eu esperei seis meses para a pele criar elasticidade (para não ter estrias) e, em outubro do mesmo ano, fiz uma nova cirurgia para colocar uma prótese maior.

No final de 2014, eu engravidei do meu primeiro filho, o Alvinho. Durante a gestação não aconteceu absolutamente nada – a única coisa que sofreu a interferência do silicone foi o tamanho dos meus seios. Porque, é claro, eles incharam durante a gestação e obviamente não teriam ficado tão grandes se eu não tivesse colocado o silicone. Mas, isso é um pouco óbvio, né?

Em março de 2015, o Binho nasceu e eu comecei a amamentar. Foi tudo muito tranquilo, e ainda digo mais: o Alvinho mamou até os sete meses e só parou porque ele não quis mais mesmo, porque eu AMAVA dar de mamar para ele. É um momento único!

Em dezembro de 2015, eu descobri que tinha um nódulo (benigno) no seio direito. Normalmente, esse nódulo não causa nenhum problema, basta fazer acompanhamento. Mas, o meu não parava de crescer.

Então, eu decidi (junto à equipe médica, é claro) retirar o nódulo, e aproveitei a cirurgia para refazer os seios. Eu já precisava mesmo desse “check-up”, porque, cá entre nós, amamentar faz o peito dar uma caidinha, sim hahahaha! Pelo menos comigo isso aconteceu.

E então, em março de 2016, eu retirei o nódulo e fiz a troca de próteses. Escolhi colocar uma menor do que as que eu tinha. Também aproveitei para fazer uma mamoplastia, que é a cirurgia para dar uma “erguidinha” nas mamas.

Todas as outras cirurgias foram muito tranquilas. Nessa última que mencionei eu senti mais dores, porque coloquei a prótese por trás do músculo. E gente, eu realmente sou uma pessoa sensível. Para mim, tudo dói hahahaha.

Enfim, a saga não acabou aí. A minha cicatrização não é legal (por natureza mesmo). E por isso, em julho do ano passado eu voltei ao hospital e refiz toda a cicatriz com o mesmo médico que me operou.

Agora sim, está tudo perfeito e no lugar! Pelo menos por enquanto. Afinal, Antônio acabou de nascer e sim, já está mamando um monte.

Aproveito para quebrar mais um mito: o silicone não interfere na amamentação. A quantidade de vezes que refiz os seios foi por livre escolha mesmo, em nada tiveram a ver com as minhas gestações ou períodos de amamentação.

Não tive nenhum tipo de problema para amamentar o Alvinho. O silicone não interferiu em nada e foi tudo perfeito! Como disse no começo do texto, essa fase é única! Mas, com o Antônio, pelo menos por enquanto, a história está sendo bem diferente.

O silicone não tem culpa de nada! Mas, eu sofri bastante para dar leite para o Antônio no hospital. Inclusive machucou de verdade e sangrou bastante. Meu pequeno até regurgitou sangue, acreditam? Chorei muito nos primeiros dias de vida dele, foi bem difícil…

Aliás, posso até fazer um post contando para vocês todos os produtos que eu usei e que me ajudaram MUITO a melhorar e superar toda essa situação… O que acham? Me contem nos comentários!

É claro que o leite faz o peito crescer e, quando o leite vai embora, a pele sobra. Natural, normal! É só arrumar, caso queira, ou deixar do jeitinho que ficou mesmo. O importante é você se sentir segura e LINDA!

Espero ter ajudado vocês!

Beijos,

Lari

© Copyright – 2015 Larissa Siloto. Todos os direitos reservados. Desenvolvimento: mufasa