Meu leite secou

E tenho sofrido muito por isso

Oi, gente!

O assunto de hoje não é nada fácil para mim – aliás, é exatamente o contrário disso. Chega a ser difícil e doloroso escrever esse texto, mas muita gente tem me perguntado no insta (@larissasiloto) e até agora não tive muita coragem de falar sobre isso, porque tenho realmente sofrido bastante. Mas, vamos lá!

Sem muitos rodeios, o meu leite secou. Num dia, Antônio estava mamando feito bezerro, dava o peito em livre demanda, acordava de duas em duas horas de madrugada para dar de mamar. Tudo lindo, como deveria ser!

Aí, em um (não tão) “belo” dia, meu leite começou a diminuir muito. Passei noites em claro, tomei remédio, fiz de tudo e nada do meu leite aumentar. E nada. Foi MUITO triste, porque consegui amamentar o Alvinho até os 07 meses. Com o meu pequeno Antônio fracassei – ao menos senti que fracassei. Mas, agora eu consigo entender que nem sempre as coisas são como queremos.

Também ouvi falar que, na segunda gestação a tendência é ter menos leite… Não sei se isso é verdade. Só sei que eu não consegui. Muitas coisas prejudicam a produção de leite, e o stress é uma delas.

A minha vida, agora como mãe de dois filhos, está bem corrida e dificilmente eu consigo um tempo só pra mim. Fazer a unha é luxo, lavar o cabelo em um banho sossegado então, pode esquecer!

Apesar de tudo isso, eu amo ser mãe. Amo a minha vida de mãe e amo falar sobre isso! O meu leite secou, fazer o que? Eu tentei de tudo, mas não voltou. Realmente secou. Aconteceu comigo, e eu entendi que pode acontecer com qualquer pessoa.

As pessoas ficaram me questionando: “Mas você não quis mais amamentá-lo?”, “Você está dando complemento, por que?”, “você quer se cuidar, por isso não amamentou tanto”. Gente, por Deus!

Ouvi muitos absurdos, mas ninguém sabe o quanto eu sofri!!! Me senti incapaz, a única coisa que eu poderia oferecer ao meu filho de mais natural e lindo possível, eu não consegui!!

Mas, eu percebi que posso oferecer meu amor, meu carinho e, da mesma forma que eu o amamentava com amor, eu também posso dar a mamadeira com o mesmo amor! Então, fica o meu recado para as mamães que estão passando ou já passaram pelo mesmo que eu: não se sintam menos mães, incapazes, fracas ou qualquer coisa parecida.

Só nós sabemos o quanto dói e o quanto temos que ser fortes para superar esse tipo de adversidade.

Beijos,

Lari

© Copyright – 2015 Larissa Siloto. Todos os direitos reservados. Desenvolvimento: mufasa